quinta-feira, 10 de maio de 2012

Anthony Bourdain - Lisboa

Não é segredo para ninguém que sou um fã incondicional do Anthony Bourdain! Gosto da forma como ele fala de comida, admiro a coragem que ele tem para provar tudo e ainda mais alguma coisa.
É um comunicador gastronómico nato que se sente como um peixe na agua em frente ás câmaras de TV e acima de tudo, sabe comer em frente a elas!
Alguns de vocês podem estar já a pensar o que é que ele quer dizer em saber comer em frente ás câmaras de TV? Simples, lembram-se do Cavaco Silva a comer bolo rei na TV, a partir desse dia os assessores nunca mais deixaram que o Sr Presidente colocasse alguma coisa comestível na boca.
Confesso que não fui eu quem reparou primeiro na forma como Anthony Bourdain come, mas depois de me terem chamado a atenção os programas dele ainda tiveram mais interesse para mim.

O programa No Reservations veio pela 3 vez a Portugal, as duas anteriores foram demasiado fracas, no Norte foi possível vê-lo numa pseudo matança do porco ao nível de um país de leste antes da queda do muro, viu-se também a ser servido frango no churrasco acompanhado por esse grande vinho Lezíria. Portugal é um bocadinho mais do que isso.

Em Lisboa gostei de ver a forma como o trataram, os sítios onde o levaram embora ache que o episódio do polvo seja um bocado feito de encomenda. Gargalhei quando ele entrou num café e pediu uma bifana e serviram-lhe uma febra grelhada na chapa no meio de um pão! Em Lisboa chamam bifanas ás sandes de febra!

Quando mostrei o episódio da sandes de febra aos Chef´s de uma das grandes casas de bifanas, eles riram-se, riram-se e desconfio que ainda se continuam a rir...

Mas aqui fica o video, deliciem-se.




1 comentário:

J P Diniz disse...

Seja lá o que for que chamem em Lisboa(ou na serra da Gralheira) a uma comida, isso não é certo nem errado, é o que lhe chamam.
Eu sou de Lisboa e não confundo febras com bifanas, mas chamo açorda ao que outros chamam migas, como bifes de vaca e não de boi etc.
Errado será rir do que é diferente